segunda-feira, 19 de julho de 2010

Tão perto e tão longe


Bem ali, na minha frente.
E sei que não falará comigo.
Arriscaria algo inconsequente,
Mas me ignoraria como castigo.

O nervosismo é o mesmo, se pode
Ou ainda maior, pois nada posso.
Meu corpo parece que explode
Queria que não, mas ainda gosto.

Talvez esteja tendo os mesmos pensamentos
E como eu resistirá o próprio tormento
Nos fizemos vários juramentos
Apenas o da distância damos cumprimento.

2 comentários:

  1. Meu corpo parece que explode
    Queria que não, mas ainda gosto.

    parabens lindo poema !!!

    bjim

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...